Flamengo ganha 3 pontos e também vence...

| 16/06/2017 |
A estreia do Flamengo na Ilha do Urubu, em partida válida pela 7ª rodada do campeonato brasileiro contra a Ponte Preta, atingiu a expectativa principal: ganhar os 3 pontos. Com gols de Rever e Damião, além da boa participação de Vinícius Júnior na partida, fizeram o rubro-negro estreiar com o pé direito após uma sequência de 4 partidas sem vitória.


Os 3 pontos são muito válidos para as estatísticas e obviamente para a pontuação do campeonato. Porém, mais do que isso, vencer era preciso. Como assim? Os 3 pontos não é consequência da vitória? E vencer era mais importante que os 3 pontos? Explico: sim, conquistar os 3 pontos é consequência da vitória. Mas para um time que vem de uma sequência ruim e principalmente, com baixa confiança, é necessário mais que conquistar os 3 pontos apenas. É necessário conquistar os 3 pontos vencendo suas próprias barreiras ou ainda vencer para começar a recuperar a confiança.

O time do Flamengo não fez um primor de partida, nem muito menos chegou perto ao que se espera desse time ou ainda do que esse próprio time já demonstrou. Mas foi uma partida segura. Sem sofrimento. Uma partida que demonstrou uma maior organização em comparação com a última partida contra o Sport. É verdade que o time abusou dos cruzamentos e demonstrou uma dificuldade enorme ainda em termos de criatividade. Mas também se postou bem não dando chances ao adversário. Talvez, essa motivação e melhoria passe também pelo rodízio, diria até que forçado, promovido pelo técnico Zé Ricardo. O tão criticado Arão deu lugar a Cuellar, que fez mais uma boa partida. Rodinei também entrou no lugar de Pará e deu mais movimentação, principalmente ofensivamente com passes mais agudos. Rafael Vaz também entrou no lugar do poupado Juan, e também fez uma partida segura, sem grandes requintes como deve ser. Conca também fez sua estreia. Acredito que muito em função dos pedidos da torcida, que começou a gritar pelo nome do argentino ainda no fim do 1º tempo. Claramente Conca ainda se encontra longe da forma ideal, tanto fisicamente quanto de ritmo.

Vinícius Júnior fez boa partida e deu sua primeira assistência.
Na próxima rodada, Flamengo fará um clássico contra o fluminense no Maracanã. Partida perigosa em termos psicológicos. Em clássico, o fator psicológico tende a ter mais influência em relação a outras partidas. Por isso uma vitória será de extrema importância nessa busca pela melhoria e ainda pela busca dessa recuperação da confiança. Novamente, ganhar os 3 pontos e vencer com segurança, terá importâncias e consequências diferentes. Para essa partida, Trauco e Guerrero já estarão disponíveis após servirem a seleção peruana. Os 2 peruanos tiveram boas participações nos 2 amistosos. Guerrero mais ainda, tendo marcado um gol em cada partida.

Ilha do Urubu

Vale destacarmos sobre as primeiras impressões que tive dessa estreia na arena. O único ponto negativo ao meu ver foi o acesso. Também não podemos considerar essa primeira experiência como algo concreto, já que o jogo ocorrei em véspera de feriado e por isso as complicações foram muito maiores que deveria ser. Já os pontos positivos foram muitos. A parte de comunicação visual fora e dentro do estádio foram muito bem sinalizadas. Dentro da arena, diversas opções para comer e beber, com um amplo espaço para a circulação do público. Os banheiros tiveram um pouco de fila no intervalo, mas nada absurdo. Para se ver o jogo a experiência foi excelente. Arquibancada bem próxima que da a sensação de um maior envolvimento de todo o evento. Saldo bastante positivo!

Proximidade das arquibancadas chamou atenção. Foto: Gilvan de Souza
O estádio não estava com sua lotação máxima. Os preços podem ser um dos motivos, o que gerou inclusive um protesto através de uma faixa. Véspera de feriado pode também ter contribuído para isso. A próxima partida na Arena será na próxima quinta-feira, contra a Chapecoense e onde o técnico ZR já terá a sua disposição as novas contratações: Éverton Ribeiro, Rhodolfo e Geuvânio. Mais um ingrediente para motivar ainda mais a torcida.

Torcida protesta contra os preços dos ingressos praticados.

A hora que a torcida do Flamengo realmente voltar a ser a tão conhecida torcida que faz a diferença, a pressão nos adversários será imensa!!! Ontem, mais uma vez, a torcida não impôs qualquer pressão no time da Ponte Preta. Torcida fria! Muitos, inacreditavelmente, se preocupavam mais com os jogadores escalados no jogo cartola, do que propriamente em incentivar o Flamengo.

Outro ponto a se destacar, foram os gritos de "burro" dirigidos ao técnico ZR. Sinceramente, gostaria de entender como isso pode influenciar positivamente na partida. Vinícius Junior, que fez boa partida, pediu para ser substituído. Não havia jogador de lado de campo disponível para substituir o garoto. O mais acostumado a jogar por ali era exatamente o Rodinei, e por isso a entrada do Pará. Na entrada da tão aclamado Conca, era mais do que normal a saída de Diego, por diversas razões. Diego vem de uma contusão de quase 2 meses de inatividade e ainda busca sua melhor forma e ritmo. A partir dos 20/25 minutos do 2º tempo, Diego pouca participava da marcação como já esperado. Conca vem de situação pior que a de Diego. Ter os dois jogadores em campo significaria dois jogadores a menos na marcação no mínimo, já que Damião também já demonstrava certo cansaço. Por mais que o jogo já estivesse 2 a 0 para o Flamengo, qualquer gol da Ponte Preta incendiaria o jogo e colocaria uma pressão desnecessária no time, que como falamos, tem demonstrado uma falta ou baixa confiança. A recuperação ou melhora dessa confiança, passa por cada detalhe na partida, inclusive o de não correr riscos ou ainda de vencer jogos sem grandes exigências psicológicas.

SRN!
@Rodri_Bruno
0 Comentário(s)
Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário