Um Flamengo tão regular...e que insiste em brigar com a Libertadores

| 18/05/2017 |
 
Precisamos falar de Flamengo em competições internacionais. Ou melhor, precisamos entender o Flamengo em competições internacionais...

Chegamos na última rodada do grupo, com 8 possibilidades de classificação para as oitavas de final da competição, em 9 possíveis. Quis o Flamengo e os Deuses do futebol que essa única possibilidade desse as caras. E porque vem acontecendo essas improváveis e vergonhosas eliminações nos últimos anos?

Podíamos discutir vários fatores, mas um especial nos chama atenção: O clube do Flamengo não sabe ainda disputar competição internacional. O clube!!! Não somente o time. Para se jogar e ganhar uma Libertadores é preciso mais que um time. É preciso criar "casca grossa" para ganhar jogos na base da porrada! Porrada sim no sentido de raça, na marra e poder de decisão. Exaltamos essa característica que foi apresentada pelo time no jogo contra a Universidad Catolica no Maracanã. E foi só! Mas em diversos jogos citamos aqui o pouco poder de decisão do time, que cria diversas chances e não transforma essas situações em gols.

Fizemos a pior partida da Libertadores e talvez do ano. As substituições que Zé Ricardo tentou não deram certo como em outras oportunidades. Outro ponto já debatido aqui e nos perguntarmos: Será que realmente temos o elenco que pensamos ter? Vejamos o banco disponível hoje: Thiago, Juan, Renê, Rômulo, Ederson, Matheus Sávio e Damião, e jogando temos os contestáveis Márcio Araújo, Gabriel e o inoperante Berrío. Qual desses jogadores tem o poder de mudar uma partida em condições normais? Como sabemos, começaremos a ter possivelmente um bom elenco com a volta de Diego, estreia de Conca, Ederson em forma e possivelmente 1 ou 2 contratações que estão por vir.

A Libertadores se apresentou ao Flamengo em 2 jogos fora de casa ao longo dos 3 disputados, como se estivesse implorando para que esse casamento de muitas brigas nos últimos anos, enfim fizesse as pazes. No jogo contra a Universidad Catolica no Chile, dominamos a partida, perdemos muitos gols e o jogo. Contra o Atlético-PR novamente perdemos diversas oportunidades e o jogo. Qualquer empate nesses jogos, resultado completamente normal dentro do que se desenhou as 2 partidas, teria trazido uma classificação antecipada ao Flamengo. Nessa última partida na Argentina era de se esperar que o time sofresse muita pressão. Times argentinos sabem jogar muito mais a Libertadores que os brasileiros, em especial o Flamengo. O resultado inesperado foi do Atlético-PR, onde parece que a Libertadores e os Deuses do futebol nos mandaram a conta: não me quis quando me ofereci, não venha me querer agora!!!

Não podemos caçar as bruxas ou ainda colocar culpa em um único responsável. Culpar tão somente o técnico Zé Ricardo é fechar os olhos para outros erros que cometemos. É preciso dividir responsabilidades com todo o time, desde os gols perdidos por Guerrero e Arão na pequena área contra a Catolica no Chile, passando pela falha do Muralha e nos gols inacreditáveis perdidos por Damião contra o Atlético-PR, e nas contratações do departamento de futebol que até hoje não se justificam.

Berrío deveria ser a solução pelo valor investido e a expectativa criada com sua chegada, se atrapalha cada dia mais com a bola. Mancuello já teve diversas chances em várias posições e não consegue render o que dele se esperava. Donatti vive machucado inexplicavelmente mesmo sem jogar. Cuellar tem poucas chances e quando entra não justifica sua escalação. São 4 jogadores que custaram uma boa quantia as cofres Rubro-Negro e que não dão retorno! Quem avalia esses jogadores?

Rodinei chuta e abre o placar. Fonte: Uol Esportes
Contra o San Lorenzo, apesar do resultado normal dentro da competição, o time jogou mal e as substituições do Zé Ricardo podem ser criticadas, embora em outras ocasiões tenham dado certo. Particularmente minha opção hoje na lateral esquerda teria sido o Renê pelo poder de marcação. Assim como teria colocado o Ederson ao invés do Matheus Sávio. Nada garante que o resultado fosse diferente, já que a postura e perfil do time não foi compatível a um campeonato como a Libertadores. E isso independe do técnico. Ter colocado o Rômulo não significa recuar o time, assim como colocar atacante não significa ser ofensivo. Não faltou tática e técnico. Faltou decisão nos momentos capitais do campeonato e coração para garantir o resultado. Jogamos melhor em 5 dos 6 jogos disputados...

Talvez você esteja se perguntando como foi o jogo e cadê os destaques característicos por aqui? 
E minha resposta é: O que importa?

Que o planejamento seja ajustado, não completamente mudado. Cogitar a demissão do ZR onde seu retrospecto e desempenho do time é bem positivo, não é justo. E caso fosse, qual técnico melhor estaria disponível? O nosso principal problema é o elenco limitado!

Enfim, 3 derrotas em 7 meses. O Flamengo mais regular dos últimos anos. Tão regular que fomos, infelizmente, novamente desclassificados prematuramente da Libertadores.

Flamengo volta a jogar no próximo sábado pelo Campeonato Brasileiro dia 20/05 às 19h contra o Atlético-GO.

SRN!
@Rodri_Bruno
0 Comentário(s)
Comentário(s)

Nenhum comentário:

Postar um comentário